“Punição coletiva” em Gaza: ministro brasileiro condena ações de Israel

O ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, fez um pronunciamento nesta segunda-feira (26) em Genebra, Suíça, defendendo a criação de um Estado Palestino independente. Durante a 55ª sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, Almeida destacou a importância de apoiar a autodeterminação dos povos e buscar soluções pacíficas para os conflitos, opondo-se veementemente ao neocolonialismo e ao apartheid. Ele expressou preocupação com a situação na Faixa de Gaza, criticando a desproporcionalidade do uso da força por parte de Israel.

”Leia-mais”

O ministro ressaltou a necessidade urgente de acabar com o que chamou de “punição coletiva” que afetou gravemente a população palestina em Gaza, resultando em milhares de mortes e forçando o deslocamento de grande parte da população. Ele destacou a privação generalizada de recursos básicos, como eletricidade, água e alimentos, causando grande sofrimento à população civil.

Almeida também mencionou a iniciativa da África do Sul de levar Israel à Corte Internacional de Justiça por supostas violações da Convenção do Genocídio de 1948 durante a retaliação ao grupo Hamas. Ele elogiou essa ação e expressou esperança de que o tribunal reafirme a ilegalidade da ocupação israelense dos territórios palestinos.

”Leia-menos”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AO VIVO