Notícias

Na Bahia, aulas semipresenciais do Ensino Médio começam dia 26; Fundamental inicia dia 9

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (20), a portaria que prevê o retorno das aulas semipresenciais e que estabelece orientações gerais para a educação estadual. O texto prevê o início das aulas na modalidade de ensino híbrido a partir da próxima segunda-feira (26) para o ensino médio. As demais séries escolares, como o fundamental, vão retornar em 9 de agosto.

A SEC chama atenção para que sejam observados e cumpridos protocolos de biossegurança para o enfrentamento da pandemia da Covid-19.

As aulas presenciais foram condicionadas à ocupação máxima de 50% da capacidade de cada sala de aula e à observância aos protocolos sanitários. Cada turma de estudantes será dividida em duas, sendo uma turma formada por alunos cujo nome próprio seja iniciado por letra constante do grupo de letras de “A” a “I” e a outra turma formada por alunos cujo nome próprio seja iniciado por letra constante do grupo de letras de “J” a “Z”.

As escolas têm autonomia para fazer ajustes na escala conforme a realidade de cada turma e em função de outros critérios.

A portaria orienta que as escolas implementem a mesma organização de aulas programadas para as rotinas regulares, de modo que, a cada dia, metade da quantidade de alunos de uma turma participe das atividades de maneira presencial e a outra metade de atividades de maneira não presencial, em sistema de alternância diária e com igual carga horária.

Em relação ao rodízio, a portaria prevê que ocorra entre os dias da semana e entre as semanas. Assim, na semana 1, metade da turma irá na segunda, quarta e sexta e a outra metade, terça, quinta e sábado. Na semana 2, os dias serão invertidos e quem foi na segunda, quarta e sexta-feira irá na terça, quinta e sábado, e o contrário. “Essa alternância assegura que todos os estudantes tenham aulas presenciais de todos os componentes curriculares”, ressaltou a SEC.

Caberá a cada Núcleo Territorial de Educação (NTE) validar a escala do retorno híbrido definida por cada unidade escolar, além de acompanhar o andamento das aulas.

Deixe seu comentário