Últimas Notícias

Disputas pelos governos estaduais têm diferenças milionárias nas campanhas

G1 – As disputas pelos governos estaduais podem ser bastante desiguais no quesito dinheiro para a campanha, apontam dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) coletados nesta quarta-feira (21). Em 5 estados o candidato que mais recebeu verbas até o momento tem pelo menos o dobro do candidato que aparece em segundo lugar no ranking.

É o caso de Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Norte, Mato Grosso e Maranhão.

A verba a mais, apesar de ajudar na campanha, não garante que o candidato esteja na frente das pesquisas de intenção de votos do Ipec (ex-Ibope) divulgadas até o momento: em 12 dos 27 estados, o candidato com mais verba lidera as disputas.

É o caso de Acre, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo e Tocantins.

No entanto, há estados em que, mesmo com o dobro do valor em verbas, o candidato está longe do primeiro colocado. Em Minas Gerais, por exemplo, o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) recebeu R$ 16 milhões, enquanto o atual governador do estado, Romeu Zema (Novo), recebeu R$ 7,3 milhões.

Na última pesquisa Ipec, divulgada na terça-feira (20), Kalil tinha 29% das intenções de voto, ante 46% de Zema, que pode ganhar a disputa já no primeiro turno.

Já no Maranhão, o senador Weverton (PDT) recebeu R$ 11,5 milhões até o momento, contra R$ 5 milhões do atual governador Carlos Brandão (PSB). O candidato do PDT, no entanto, tem 20% das intenções de voto, 21 pontos abaixo de Brandão, que apareceu com 41% na pesquisa Ipec divulgada na terça-feira (20).

Entre os governadores eleitos em 2018, aparecem na liderança de arrecadação de verbas em seus estados Gladson Cameli (PP-AC), Renato Casagrande (PSB-ES), Mauro Mendes (União-MS), Helder Barbalho (MDB-PA), Ratinho Júnior (PSD-PR) e Fátima Bezerra (PT-RN)

Wilson Lima (União-AM), Ronaldo Caiado (União-GO), Marcos Rocha (União-RO), Antônio Denarium (PP-RR), Eduardo Leite (PSDB-RS) e Carlos Moisés (Republicanos-SC) são os eleitos em 2018 que não aparecem na liderança em recursos recebidos.

Diferenças na disputa ao Senado

Os dados do TSE também mostram que há uma grande diferença no financiamento de candidatos ao Senado em um mesmo estado. Em dois deles, Minas e Maranhão, o candidato que recebeu mais verbas tem mais que o dobro de dinheiro do segundo colocado.

g1 e GloboNews divulgam pesquisa Datafolha presidencial a partir das 18h, com destaque para votos válidos

Por G1 – O g1e a GloboNews publicam a partir das 18h desta quinta-feira (29) o resultado da 6ª pesquisa de intenção de voto do Datafolha sobre a disputa pela Presidência da República.

Na TV Globo, o levantamento vai ser divulgado no Jornal Nacional.

Por conta da proximidade com o 1º turno, que acontece no domingo (2), nesta rodada a divulgação da pesquisa dará destaque para os votos válidos, que excluem os brancos e os nulos.

Isso acontece porque são os votos válidos que definem o resultado da eleição – a Justiça Eleitoral não leva em conta os votos brancos e nulos. Então, destacar os votos válidos permite uma melhor comparação entre os números da pesquisa e o resultado final da eleição, que é divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Além da pesquisa nacional, serão divulgados também levantamentos do Datafolha sobre as disputas pelos governos de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo e do Ipec sobre Amapá, Amazonas, Rondônia e Sergipe.

Lula anuncia seu time de governadores apoiados por ele no pleito de 2 de outubro

Portal Tribuna Nordeste – O candidato à Presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) divulgou nesta quarta-feira (28) a lista de candidatos a governos estaduais e ao senado apoiados por ele em cada estado brasileiro.

Na Região Sudeste, Lula apoia um nome do Partido dos Trabalhadores: Fernando Haddad (PT) em São Paulo, Marcelo Freixo (PSB) no Rio de Janeiro, Alexandre Kalil (PSD) em Minas Gerais e Renato Casagrande (PSB) no Espírito Santo.

No Sul, todos os candidatos a governos estaduais apoiados pelo ex-presidente são do PT. Lula fechou com Roberto Requião no Paraná, Edegar Pretto no Rio Grande do Sul e Décio Lima em Santa Catarina.

No Centro-Oeste, duas das quatro candidaturas aos governos apoiadas por Lula são do PT: Wolmir Amado em Goiás e Giselle Marques no Mato Grosso do Sul. Lula apoia Leandro Grass (PV) no Distrito Federal e Márcia Pinheiro (PV) no Mato Grosso.

Na Região Norte, o PT tem duas candidaturas apoiadas por Lula: Jorge Viana no Acre e Paulo Mourão no Tocantins. No Amazonas, o ex-presidente apoia Eduardo Braga (MDB). No Pará, Helder Barbalho (MDB) tem o apoio de Lula. Em Rondônia, o petista fechou com Daniel Pereira (Solidariedade), em Roraima com Rudson Leite (PV) e no Amapá, Clécio Luis (Solidariedade).

No Nordeste, o PT tem candidatos em cinco estados: na Bahia (Jerônimo Rodrigues), no Ceará (Elmano de Freitas), no Piauí (Rafael Fonteles), no Rio Grande do Norte (Fátima Bezerra) e em Sergipe (Rogério Carvalho).

PESQUISAS

A pesquisa Genial/Quaest, divulgada na madrugada desta quarta-feira (28), mostrou que Lula venceria a eleição no primeiro turno.

Os números do Ipec (ex-Ibope), divulgados na última segunda-feira (26), também apontaram vitória do petista em primeiro turno. (com 247)

Fundação Nilo Coelho abre inscrições para projeto gratuito que atende idosos em Petrolina

g1 Petrolina – Estão abertas as inscrições para o projeto Viva Feliz da Fundação Nilo Coelho, localizada em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. A ação é gratuita e atende idosos a partir de 60 anos e oferece diversas atividades, como atendimento psicológico e psicopedagógico, atividade física, aulas de dança, atendimento com assistente Social, cursos de artesanato, passeios, palestras e comemorações.

As atividades são desenvolvidas de segunda à quinta-feira, das 9h às 11h30, com vagas limitadas. Para fazer a inscrição é necessário comparecer a sede da Fundação Nilo Coelho, na Avenida R. Aristarco Lopes, 330, Centro.

Além da inscrição, os candidatos também devem apresentar cópia do RG, CPF e Cartão do SUS, cópia do comprovante de endereço, cópia do comprovante de vacinação contra o corona vírus, laudo médico ou atestado autorizando atividades físicas e cópia de exames recentes.

Odacy Amorim disse que pretende atuar para implantar uma clínica pública veterinária no Sertão

Ao longo da campanha, o candidato a deputado estadual Odacy Amorim (PT) vem apresentando propostas em diversas áreas. Mas uma delas chamou atenção dos defensores de animais. Trata-se da criação de uma Clínica Pública Veterinária do Sertão.

Segundo Odacy, o objetivo desse equipamento público é atender vários animais. “Sabemos que muitas pessoas que criam pet não tem condições financeiras de pagar pela assistência a saúde. Por isso, cirurgias, consultas e atendimento de urgência serão os principais serviços que a clínica vai ofertar, inclusive para atendimento de animais em situação de rua”, destacou.

Vale salientar que Odacy, que já foi prefeito de Petrolina e deputado estadual por dois mandatos seguidos, sempre teve sua trajetória política voltada à preservação da vida. Prova disso foi a retirada de centenas de animais de grande porte das estradas sertanejas, que resultou na redução de 90% do número de acidentes nas estradas da região.

Pós-graduação da Uneb Juazeiro/BA recebe nota 4 da Capes

Os Programas de Pós-graduação stricto sensu do Departamento de Tecnologia e Ciências Sociais (DTCS), da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Juazeiro, receberam nota quatro na última avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), divulgada neste mês de setembro. A avaliação teve quesitos relacionados à estrutura física e pedagógica dos programas, formação, produção de docentes e discentes e o impacto na sociedade entre outros aspectos acadêmicos. Este resultado compreende o quadriênio 2017-2020 dos cursos de mestrados e doutorado no país. 

As notas foram conferidas ao Programa de Pós-Graduação em Agronomia: Horticultura Irrigada (PPGHI), ao Programa de Pós-Graduação Profissional e Interdisciplinar em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial (PPGADT) e ao Programa de Pós Graduação em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGECOH). 

A coordenadora do PPGHI, professora Dra. Ana Rosa Peixoto, comemora que o crescente desempenho do programa atesta a qualidade do curso oferecido e que os resultados repercutem também no mercado de trabalho da agronomia, tendo em vista que os mestres formados atuam em diversos setores dessa cadeia produtiva no Vale do São Francisco e no mundo. 

O Programa de Pós-Graduação em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGEcoH) possui o único doutorado nessa área na América Latina. Nessa avaliação de desempenho, o Programa manteve a nota da avaliação quadrienal passada. O coordenador do PPGEcoH, Dr. Carlos Alberto Batista, explica que essa colocação possibilita a continuidade da oferta dos cursos de mestrado e doutorado. “Permanecemos empenhados em subir de nota para oferecer ainda mais qualidade ao nosso corpo discente”, reforçou. 

O mais novo Programa de Pós-Graduação Profissional e Interdisciplinar em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial (PPGADT) entrou em vigor no ano de 2019 e é avaliado pela primeira vez já com a nota quatro. O curso envolve três instituições de ensino superior: a UNEB, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). 

Com área de concentração em Sociedade, Natureza, Inovações Sociotécnicas e Políticas Públicas, o PPGDAT possui alto desempenho no envolvimento com a comunidade externa. Para o coordenador do PPGADT-Polo UNEB, Dr. Luciano Ventin Bomfim, a classificação, por um lado, corresponde ao reconhecimento da qualificação dos professores e dos alunos, do incentivo à pesquisa e, por outro lado, divulga o programa e a universidade para outras cidades e estados, além de atrair estudantes de todo o país.  ASCOM

Pesquisa Ipec em Pernambuco: Marília, 34%, Raquel, 15%, Miguel, 13%, Danilo, 13%, Anderson, 11%

DO G1/PE – Pesquisa Ipec divulgada nesta terça-feira (27), encomendada pela Globo, mostra que Marília Arraes (Solidariedade) se manteve na liderança da disputa, com 34% das intenções de voto para o governo de Pernambuco em 2022, um ponto percentual a mais do que no levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 21 de setembro.

Em seguida, vem Raquel Lyra (PSDB), com 15%; Miguel Coelho (União Brasil) e Danilo Cabral (PSB), empatados numericamente com 13%; e Anderson Ferreira (PL), com 11%.

No comparativo com a pesquisa divulgada em 21 de setembro, Raquel aumentou quatro pontos percentuais, Danilo e Miguel subiram 2%, e Anderson se manteve com o mesmo percentual anterior.

A candidatura de Ubiracy Olímpio (PCO) foi indeferida, motivo pelo qual seu nome não foi incluído nesta pesquisa.

A pesquisa ouviu 1.504 pessoas entre os dias 24 e 26 de setembro em 57 municípios pernambucanos. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o código BR-02828/2022.

Eleitor não poderá ser preso a partir desta terça

DO DIÁRIO DE PERNAMBUCO – A partir desta terça-feira (27) e até 48 horas depois do primeiro turno de votação, no próximo domingo (2), nenhum eleitor poderá ser preso por qualquer autoridade, a não ser que seja pego em flagrante delito ou condenado por crime inafiançável.

A outra exceção é se a pessoa impedir o salvo conduto (direito de transitar) de outro cidadão, prejudicando assim o livre exercício do voto. Quem for pego praticando o delito poderá ser preso pela autoridade policial.

A regra e as exceções constam no Artigo 236 do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965). A lógica do dispositivo, herdado de normas eleitorais antigas, é impedir que alguma autoridade utilize seu poder de prisão para interferir no resultado das eleições. O artigo é o mesmo que veda a prisão de candidatos, fiscais eleitorais, mesários e delegados de partidos nos 15 dias que antecedem o pleito.

A vedação não se aplica a quem for pego cometendo crime, ou logo depois de cometê-lo. Isso inclui crimes eleitorais. No dia da votação, por exemplo, poderá ser detido quem desrespeitar algumas proibições, como fazer propaganda de boca de urna, tentar arregimentar eleitores, usar equipamento de som na rua e promover comícios, entre outros.

Neste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu proibir a presença de armas de fogo num raio de 100 metros de qualquer seção eleitoral. As poucas exceções incluem apenas agentes de segurança. A regra vale mesmo para quem possui permissão para o porte e vigora nas 48 horas que antecedem o pleito até as 24 horas que o sucedem.

A polícia também não está impedida de prender quem já tenha sido condenado por crime hediondo – por exemplo, tráfico, homicídio qualificado, estupro, roubo a mão armada, entre outros (Lei 8.072/1990). A proibição de prisões também só atinge quem for eleitor, ou seja, quem tiver gozo do direito político de votar.

No caso de qualquer prisão, a partir desta terça-feira (26) a previsão é que o detido seja levado à presença de um juiz para que seja verificada a legalidade do ato. Caso seja constatada alguma ilegalidade, o responsável pela prisão pode ser responsabilizado. A pena prevista é de quatro anos de reclusão. COM DIARIO DE PERNAMBUCO

Carro da Vacina atenderá público infantil neste final de semana em Petrolina

A Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Saúde, segue com ações e estratégias para ampliar a cobertura vacinal no município. Uma delas, bastante exitosa, é o carro da vacina que neste final de semana atenderá o público infantil de 5 a 11 anos tanto da área urbana quanto rural da cidade. 

No sábado (12), das 8h às 17h, a equipe estará no Núcleo 11 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, e no domingo (13), também no mesmo horário, no Residencial Monsenhor Bernardino. Serão ofertadas 900 doses dos imunizantes pediátricos para aplicação da primeira e segunda dose. Vale ressaltar ainda que as crianças precisam estar acompanhadas dos pais ou responsáveis.

É necessário também levar documento de identificação com foto ou certidão de nascimento, cartão SUS ou CPF da criança e comprovante de residência. Para as crianças que possuem comorbidades, é necessário apresentar um laudo médico. No caso da segunda dose basta apresentar o cartão de vacina e um documento oficial com foto.

Armando Monteiro diz que Raquel Lyra vai construir uma nova agenda e devolver a liderança ao estado

FOTO: ASCOM

“Raquel está sendo convocada por expressivas forças sociais e políticas, para, na condição de candidata ao Governo de Pernambuco, oferecer uma agenda renovada que devolva esperança aos pernambucanos e que reconcilie o nosso estado com a sua vocação de liderança e crescimento”, escreveu o ex-senador Armando Monteiro, em redes sociais nesta quinta, 10.

Relembrando um ano da posse de Raquel Lyra à frente da presidência do PSDB Pernambuco, Armando também reforçou que a tucana “protagonizou um debate sobre o futuro de Pernambuco percorrendo o estado de ponta a ponta conhecendo melhor as realidades locais num contato direto com a população”.

O ex-senador também registrou que o PSDB Pernambuco ampliou “quadros partidários que atenderam o nosso chamamento, o que nos assegurou nesta nova etapa a formação de chapas competitivas que irão disputar vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal”, destacou.

FONTE: ASCOM

Presidente da Ucrânia diz que quase 9 mil soldados russos foram mortos

Assim começa o último vídeo postado pelo presidente da Ucrânia em sua página no Telegram: “Somos a nação que destruiu os planos do inimigo em uma semana. Planos que foram construídos por anos”. Na gravação, Volodymyr Zelensky afirma que os soldados russos não conseguirão nada na Ucrânia nem terão momentos de paz.

“Eles [os invasores] não terão comida. Eles não terão nenhum momento de paz. Eles receberão apenas a rejeição feroz dos ucranianos. Quase 9 mil russos foram mortos em uma semana. A Ucrânia não quer ser coberta por cadáveres de militares. Vão para casa! Digam para os seus comandantes que vocês querem viver”, apelou aos soldados russos.

Ontem (2), o Ministério da Defesa da Rússia divulgou que 498 soldados russos foram mortos e 1.597 ficaram feridos desde o início da operação militar de Moscou no país vizinho.

O presidente ucraniano disse ainda que, apesar de a Rússia ter um quantitativo dez vezes maior, a moral do inimigo está se deteriorando. “Mais e mais invasores estão voando de volta para a Rússia. Ucranianos estão abatendo o inimigo inclusive sem armas. Eu sinceramente admiro os cidadãos heroicos que não deixam os invasores [entrarem nas cidades] fazendo bloqueios nas ruas”.

Zelensky afirmou que os soldados russos entram em pequenos mercados atrás de comida e são expulsos por cidadãos ucranianos. “Eles são crianças confusas que foram usadas. Levem eles de volta para casa”, disse.

O mandatário da Ucrânia também afirmou que, durante o dia de negociações com a coalizão anti-guerra, conversou com chefes de governo da Noruega e de Israel, com o presidente do Cazaquistão, com o emir do Catar, com o presidente do Conselho Europeu, com o primeiro-ministro do Canadá e com o presidente da Polônia. Ele comemorou o resultado da Assembleia da ONU, que aprovou ontem uma resolução que exige que a Rússia retire as tropas da Ucrânia.

Mais de um milhão de ucranianos já deixaram o país, o equivalente a 2% da população. Mais da metade deles foi para a Polônia. Segundo as Nações Unidas, essa é uma crise sem precedentes neste século. A ONU estima que outros 4 milhões de ucranianos ainda podem deixar o país.

Da Agência Brasil

Brasil tem fertilizantes até outubro, garante ministra

O estoque de fertilizantes para o agronegócio no Brasil está garantido até outubro. A avaliação é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

Em entrevista coletiva nessa quarta-feira (2), ela garantiu que não há problemas com a safra neste momento, no entanto, a safra de verão, no final de setembro e outubro, gera preocupação.

A ministra lembrou que a safrinha de milho já está em produção. “Então, o que precisava de fertilizante já chegou, já está com o produtor rural. Neste momento não temos problema. A safra de verão é uma preocupação”, disse. Ela acrescentou, entretanto, que o setor privado confirmou a existência de estoque de passagem de fertilizantes suficiente até outubro.

O alerta sobre o mercado internacional de fertilizantes vem desde fevereiro quando começaram as sanções econômicas em Belarus. As exportações do produto estão suspensas para o Brasil por causa do fechamento dos portos da Lituânia para o escoamento de fertilizantes e agora com o apoio à Rússia na guerra contra a Ucrânia, o país do leste europeu sofreu novas sanções.

O cenário se agravou ainda com o início da guerra. Isto porque, além da Belarus, a própria Rússia é o principal fornecedor do produto para o mercado brasileiro.

Negociação com o Canadá

Em meio à crise, a ministra da Agricultura disse que vai ao Canadá tentar negociar a demanda de fertilizantes. Segundo ela, o impacto ao consumidor depende do tempo da guerra. Sem esses produtos, a tendência é que a oferta vai fazer disparar o preço dos alimentos.

“O preço do trigo subiu lá nas alturas porque a Ucrânia é um grande produtor e isso influencia o mercado global. A gente acha que terá uma alta, sim. Quanto? A soja já subiu, já caiu um pouco. O milho já subiu, já caiu um pouco. A gente tem que acompanhar e diminuir os impactos”, afirmou.

Atualmente, o Brasil é o quarto consumidor global de fertilizantes, 80% de todo o produto usado na produção agrícola nacional vêm de fora do país.

As sanções econômicas dos Estados Unidos e da União Europeia na Rússia e na Belarus atingem a produção de potássio, e a maioria dos fertilizantes é feita a partir do potássio. A Rússia é responsável por fornecer cerca de 25% dos fertilizantes para o Brasil.

Da Agência Brasil

Guerra da Ucrânia empurra a inflação brasileira para cima

A guerra na Ucrânia vem afetando os preços das commodities negociadas no mercado global e acendeu o alerta para a volta das pressões inflacionárias, tanto dos alimentos quanto dos combustíveis — que têm pesos importantes nos indicadores que medem a carestia. Analistas salientam que, antes, previam um recuo maior no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — que mede a inflação oficial — neste ano por conta da recente queda do dólar, que vem ocorrendo devido à forte entrada de capital estrangeiro em busca de ações baratas e dos juros de dois dígitos pagos pelos títulos públicos.

Depois da eclosão do conflito entre russos e ucranianos, esses mesmos analistas refazem os cálculos do IPCA para incluir a recente disparada dos preços. A alta dos preços das commodities pode se disseminar, elevando o custo do consumidor do pãozinho, do macarrão, da carne, além da gasolina e do diesel nas bombas, encarecendo o frete. Segundo eles, o IPCA deverá encerrar o ano acima de 6%, podendo ultrapassar 6,5%, além da mediana das previsões do mercado — em 5,6%.

As novas estimativas para o índice são preliminares, pois não se sabe a duração da guerra e o estrago que fará nos preços das commodities. O petróleo tipo Brent, negociado em Londres, encerrou o dia com alta de 7,58%, cotado a US$ 112,92 o barril. Em 12 meses, teve um salto superior a 80%.

Os preços do trigo, do milho e da soja também dispararam. De acordo com especialistas, a cada 10% de alta no preço do milho, por exemplo, há 2% de aumento do custo dos produtores de carne animal.

O economista André Braz, coordenador do núcleo de preços ao consumidor do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), destacou que é cedo para saber o impacto no IPCA, mas reconheceu que “não haverá trégua na inflação neste ano”. Por ora, ele eleva de 5,8% para 6,2% a previsão para a inflação oficial de 2022.

“É difícil estimar o impacto dessa guerra, porque o efeito é muito disseminado. Começa no preço do petróleo, passa para o combustível nas bombas, vai para toda a cadeia de derivados, como resinas plásticas, que afetam grande parte da indústria. Depois, temos que considerar os grãos: milho, soja e trigo dispararam e isso afeta a cadeia de alimentos em uma proporção que os analistas do mercado não haviam considerado”, explicou Braz.

Cenário desafiador

Conforme disse, o cenário era desafiador por conta das eleições no Brasil, mas a guerra trouxe danos que serão difíceis de serem superados ao longo do ano. “Já começo a imaginar um cenário com inflação acima de 6,2% para a acomodação dos impactos do conflito na Ucrânia. Mas ainda não sabemos se pode piorar”, alertou.

Carlos Thadeu de Freitas Gomes, economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), disse que, recentemente, por conta da valorização do dólar — que chegou a ficar abaixo de R$ 5 —, tinha reduzido as projeções do IPCA no fim deste ano para algo entre 5% e 5,5%. “Fizemos um cálculo preliminar do impacto da guerra sobre os preços das commodities. Deve dar um impulso no IPCA de, pelo menos, 0,50 ponto percentual e voltamos a prever 6% de alta no indicador no fim do ano”, disse. Para ele, “a guerra deve acabar logo”, mas admitiu que se o conflito se estender, o impacto inflacionário poderá ser bem maior.

Diretor de Estratégias Públicas do Grupo Mongeral Aegon (MAG), Arnaldo Lima lembrou que, além de ser uma catástrofe humanitária, o conflito deve “gerar efeitos danosos sobre a economia mundial e a brasileira”. “No caso dos alimentos, Rússia e Ucrânia exportam quase um terço do trigo no mundo (28%) e um quinto do milho (18%). Apesar de o Brasil importar a maior parte do trigo da Argentina, ainda assim poderemos sofrer impactos diante de uma interrupção do fornecimento global e da queda nas exportações russas e ucranianas. Até o pãozinho pode ficar mais caro”, destacou Lima, que ainda prevê alta de 5,6% para o IPCA deste ano. “Estamos aguardando os desdobramentos para fazermos atualizações”, salientou.

Do Correio Braziliense

AO VIVO